O Amor está em Ser

 

Não temos de conquistar nada para sermos amados. O amor verdadeiro vive no lugar onde somos em essência. Não temos de conseguir coisas ou ser vistos a fazer somente o bem para sermos amados, isso não existe, e se acontece não passa de uma grande neurose. Somos seres humanos cada um com sua condição de ser, e existem afinidades e sintonias em todos os lugares, e para todos os seres se relacionarem.

O universo é inteligente e cria uma abundância de condições de atração entre os seres, para que sempre exista a possibilidade de sermos atraídos por aqueles que nos despertam o sentimento de amor. Precisamos amar e aprender a amar o que somos e o que vemos no outro, independente das projeções, pois o amor organiza tudo.

A lei do semelhante atrai semelhante existe naquilo que é essencial e não naquilo que é material. Por isso independente daquilo que temos, sempre haverá a possibilidade de sermos amados pelo que somos e pelo que emanamos, atraímos e repelimos.

A liberdade dos encontros e desencontros gera em nós uma caldeira de elementos a serem percebidos, e unidos pelos elos que podemos criar uns com os outros, através de nossas sintonias e condições de ser. O amor acontece quando sentimos na presença do outro aquela afinidade de semelhanças, que nos ofertam a alegria de ser quem somos, em simplicidade, espontaneidade e naturalidade.

Nada temos de fazer para sermos amados, e sermos quem somos não desilude os outros; pois se somos autênticos em essência, não alimentamos as frequências de ilusão e desilusão. E sempre podemos estar abertos ao descobrimento do amor e do encantamento por pessoas que despertam em nós a liberdade de ser quem somos. Devemos ser simplesmente quem somos, e amar o que está a nossa frente.

Que sejamos livres para amar.

 

Your browser is out of date. It has security vulnerabilities and may not display all features on this site and other sites.

Please update your browser using one of modern browsers (Google Chrome, Opera, Firefox, IE 10).

X