Homeopatia

Sobre

Há mais de 200 anos, mais precisamente em 1796, o médico alemão Samuel Hahnemann publicou um artigo sobre um novo método de tratamento e cura ao qual deu o nome de HOMEOPATIA.

Terapêutica que consiste em tratar o doente por intermédio de pequenas doses de substâncias, que se fossem administradas a uma pessoa saudável, provocariam sintomas semelhantes aos que o doente apresenta.

  • Sistema Holístico.
  • Dirige-se à capacidade de cura intrínseca do organismo.
  • Estimula suave e continuamente as forças naturais e regenerativas do organismo.
  • Utiliza substâncias altamente diluídas, por isentas de efeitos tóxicos.
  • Resulta de mais de duzentos anos contínuos de pratica terapêutica, investigação e desenvolvimento.

A homotoxicologia subordina todas as doenças a reações químicas possibilitando assim a desintoxicação do organismo dos fatores patogénicos ( homotoxinas) mediante a transformação destes em homotoxonas (fase não patogénica da toxina), para que assim estes sejam excretados do organismo.

Assim o organismo agrupa um conjunto de órgãos em funções, os quais atuam unidos na luta contra as homotoxinas, inactivando-as ou expulsando-as por vias fisiológicas de eliminação, procurando voltar ao estado de equilibrio e saúde.

É uma ciência que tem como objetivo favorecer a eliminação de substâncias tóxicas que se acumulam no organismo, na matriz extra-celular, através da má alimentação, medicamentos, metais pesados, drogas, fumo, radiações e outros agentes que podem provocar danos ou lesões nos órgãos, alergias, infeções crónicas ou recorrentes, intoxicações e doenças auto-imunes.

Medicamentos Homeopaticos contêm nanoparticulas de sílica que atuam como stressores para estimular a hormesise a sensibilização do organismo, através de efeitos não farmacológicos em mecanismos adaptativos biológicos específicos.

Tal como um vírus não infecioso, o Medicamento Homeopatico torna-se um sinal de perigo de nível baixo ou uma ameaça à sobrevivência do organismo.
A resposta depende da capacidade do organismo de avaliar qual o nível de stressores que causam doença. E que uma dose baixa apenas sinaliza uma ameaça ao organismo levando-o a amplificar essa resposta.

Princípios básicos da homeopatia:

  • Principio da Similitude
  • Principio da Globalidade
  • Principio da Infinitesimalidade

A similitude é um fenómeno que observamos para numerosas substâncias (não todas) incluindo alguns medicamentos convencionais.

Consiste no facto de uma substância em particular poder curar uma doença, cuja sintomatologia no paciente seja similar à causada por essa mesma substância em pessoas sãs.

O veneno da abelha produz efeitos como a dor e a inflamação em pessoas sãs. Quando o veneno se administra em doses muito baixas em pessoas alérgicas ao veneno, o organismo é capaz de induzir uma tolerância imunológica, revertendo os processos de regulação imunológica linfocitária.

Os medicamentos homeopáticos incrementam a sua ação, ficam mais “potentes”, á medida que vão sendo mais diluídos, existindo teoricamente uma relação inversamente proporcional entre a potencia do medicamento homeopático e a sua concentração em substância original.

O paradigma científico predominante estabelece que são necessárias as moléculas intactas para a eficácia dos medicamentos, e portanto a desculpa para descartar as numerosas evidências científicas a favor de um efeito biológico da homeopatia.

As ultra diluições dos medicamentos homeopáticos são capazes de induzir efeitos biológicos comprovados tanto em células ou sistemas de células isolados (“estudos in vitro”), como em modelos com animais ou com plantas (“estudos in vivo”).

As nanoparticulas contidas nos medicamentos homeopáticos seriam compostas de agregados da substância original derivados do processo de divisão mecânica em lactosee/ou da dinamização em soluções hidroalcoólicas, assim como de nanoestruturas derivadas do silicio dos frascos.

Estas nanoparticulas possuem interessantes características, tais como, uma biodisponibilidade elevada, grande capacidade de absorção e características electromagnéticas e quânticas diferentes do material original.

O medicamento homeopático composto de nanoparticulas iria induzir alterações adaptativas a doses mínimas no organismo. Estes efeitos traduzem-se em menssageiros biológicos “sinal”, que iria interferir como circuito de resposta ao stress biológico e que interrelaciona o sistema nervoso central, periférico, sistema hormonal e sistema imunológico.

Estes efeitos iriam traduzir-se numa cascata de respostas ao stress que incluem a ativação de circuitos neuroendócrinos, “heatshock proteins”, inflamassomase citoquinas.

Os medicamentos homeopáticos, atuariam então no campo da fisiologia e da homeostase, em vez de ser através dos efeitos farmacodinâmicos clássicos.

 

Your browser is out of date. It has security vulnerabilities and may not display all features on this site and other sites.

Please update your browser using one of modern browsers (Google Chrome, Opera, Firefox, IE 10).

X